Insuficiência Venosa Crônica

Insuficiência Venosa Crônica

 

O que é?

 

O coração bombeia o sangue através das artérias até as pernas. Os músculos da panturrilha (batata da perna) empurram o sangue pelas veias, contra a gravidade, de volta para o coração. As válvulas no interior das veias fazem com que o sangue não volte para baixo e se acumule nas veias.
A insuficiência venosa crônica ocorre quando as veias deixam de conseguir cumprir a sua tarefa de levar o sangue de volta ao coração, acumulando assim o sangue nas pernas.

 

Causa

 

A insuficiência venosa crônica está relacionada, principalmente, a varizes de membros inferiores (o sangue fica retido nas veias varicosas dilatadas) e à síndrome pós trombótica (o sangue fica preso nas pernas pela obstrução causada pela trombose prévia).
Causas bem mais raras são as fístulas arteriovenosas, compressão da veia por tumores ou outras estruturas e ausência congênita das veias e válvulas.

 

img3-a

 

Sintomas

 

Inicialmente, o paciente queixa-se de pernas pesadas, formigamentos, câimbras na batata da perna e inchaço nas pernas e tornozelos que são piores quando estão de pé e melhoram quando deitam.
O pigmento do sangue, hemossiderina, deposita-se na pele gerando uma coloração acastanhada da pele (dermatite ocre). A longo prazo, ocorre o espessamento da pele (dermatoesclerose) que prejudica o abastecimento dos tecidos com nutrientes e oxigênio, causando inflamações dolorosas e morte dos tecidos com formação de úlceras.

 

img3-a

 

Diagnóstico

 

O diagnóstico da insuficiência venosa é realizado pelo médico cirurgião vascular baseado nas queixas do paciente e pelos sinais apresentados no exame físico. O ultrassom doppler é importante para a confirmação da causa da insuficiência venosa e programação do tratamento no caso de varizes.

 

Tratamento

 

Os principais métodos de tratamento são:
• Meias de Compressão: As meias elásticas comprimem a musculatura da panturrilha, mantendo as veias contraídas. Dessa forma, diminuem o refluxo e a hipertensão venosa favorecendo a absorção do edema.
• Esclerose química (espuma): A substância química forma uma espuma que injetada nas veias varicosas causa uma reação inflamatória local que fecha a veia definitivamente.
• Cirurgia de varizes: além das veias visualmente acometidas, também serão removidas as veias com dilatação e refluxo identificadas pelo ultrassom doppler. Existe diversas modalidades cirúrgicas: a remoção manual, a terapia com laser e a radiofrequência.

 

img3-a