Varizes

Varizes

 

O que é?

 

Varizes podem ser explicadas como veias dilatadas, tortuosas e alongadas.
Podem ser encontradas em muitos lugares, como no esôfago (varizes esofágicas), no ânus (hemorróidas), na pelve (varizes pélvicas), porém o local mais acometido é o membro inferior.

 

img3-a

 

Causas

 

Não existe uma causa específica, porém existem pessoas com maior predisposição a ter varizes:
– Mulheres
– Idade avançada
– História familiar de varizes
– Obesidade
– Trabalhar a maior parte do tempo sentado ou em pé
– Gravidez

 

Sintomas

 

Alguns não apresentam qualquer sintoma além da queixa estética. Outros pacientes apresentam:
– dor, ardor, sensação de peso nas pernas, que pode ser pior no fim do dia
– leve inchaço envolvendo apenas os pés e tornozelos
– coceira na pele sobre a veia varicosa.
Nos casos graves, o paciente pode apresentar escurecimento da pele na altura do tornozelo, espessamento e até mesmo úlcera. Nesta situação, damos o nome de insuficiência venosa crônica secundária a varizes.

 

img3-a

 

Diagnóstico

 

O diagnóstico é clínico, feito pelo exame médico, não sendo necessários exames complementares para confirmar o diagnóstico. A ultrassonografia doppler é de fundamental importância nos casos em que será indicada a cirurgia.

 

Tratamento

 

O tratamento definitivo das varizes é cirúrgico, mas o controle dos sinais e sintomas pode ser através de mudanças comportamentais associadas a medicamento e uso de meia elástica. Pacientes que não puderem ser operados por problemas de saúde e idade também podem ser tratados dessa forma. São utilizados medicamentos que auxiliam no tônus das veias e na permeabilidade capilar, ajudando na drenagem do sangue e da linfa no membro acometido. Conjuntamente, deve ser utilizada meia elástica com a compressão e altura prescritas pelo médico; ela auxilia também na tonicidade da veia e na reabsorção de líquido.
Caso seja indicado procedimento cirúrgico, além das veias visualmente acometidas, também serão removidas as veias com dilatação e refluxo identificadas ao ultrassom Doppler.

 

img3-a

 

Hoje em dia existem diversas modalidades cirúrgicas para o tratamento das safenas insuficientes: a remoção convencional por cirurgia, a terapia com Laser e com radiofrequência.
A utilização do cateter de radiofrequência e a terapia a Laser são os métodos modernos que promovem o fechamento da safena sem precisar retirá-la. Assim o paciente apresenta menos hematoma, menos dor no pós-operatório, uma recuperação mais rápida, de 3 a 7 dias, além de não ser necessário corte para sua realização.