Muitas pessoas têm dúvida de como é feita a cirurgia de varizes. Do que terá de abrir mão durante a recuperação, o que é preciso fazer para agendar a cirurgia, como será o a véspera, o dia e o pós-procedimento. Apesar de haver variações de médico para médico, vamos esclarecer como nós, do Instituto Barão, lidamos com este momento ímpar da vida de nossos pacientes: o dia da cirurgia de varizes.

Uma vez tomada a decisão de operar suas varizes (nessa altura você já passou por algumas consultas, já realizou exames, sabe quais são os riscos e benefícios do procedimento), escolhemos um dia e um hospital para realizar a cirurgia. Quando a internação é paga pelo convênio, precisamos de mais ou menos 20 dias para resolver os trâmites do processo – isso é resolvido inteiramente pelo consultório, a única coisa que você deverá fazer é aguardar a liberação; não precisa ligar, nem preencher nenhum formulário, nossas secretárias resolverão tudo.

Geralmente uma semana antes da data agendada, você passa em consulta para que orientemos o passo a passo da cirurgia: jejum, endereço do hospital, repouso, cuidados com os curativos, medicamentos que irá tomar, etc.

No dia ou na véspera da cirurgia, objetivando um bom resultado funcional e estético, é feita a marcação do trajeto das veias varicosas que serão retiradas. Isto é feito porque as varizes “murcham” quando estamos deitados, ficando mais difícil de saber onde elas estão no momento da cirurgia caso não haja uma marcação prévia. Na maioria das vezes fazemos isso no consultório, pois dispomos de equipamentos que nos auxiliam, como o aparelho de realidade aumentada e o ultrassom Doppler. Gostamos também de fazer o registro fotográfico das pernas para comparação após o procedimento.

Você deve comparecer ao hospital com 8 horas de jejum, inclusive para líquidos. Em geral a internação ocorre 2 horas antes do procedimento. Ao chegar no hospital, você será encaminhado para o quarto, onde o médico anestesista fará sua avaliação para definir a melhor anestesia a ser realizada. Em geral, o tipo de anestesia vai depender do porte da cirurgia e das doenças de base que você apresenta. Geralmente utilizamos a raquianestesia, na qual o paciente fica anestesiado da cintura para baixo, associada à sedação, que torna o procedimento mais confortável.

Bom, hora de começar a cirurgia: você estará dormindo, sem sentir qualquer dor. São feitas pequenas incisões (cerca de 2mm) e, com a ajuda de uma agulha de crochê, retiraremos as varizes. No lugar de pontos, usamos fitas adesivas (para um melhor resultado estético). Quando as varizes são muito grossas, há a necessidade de incisões um pouco maiores para retirá-las e, neste caso, podem ser necessários pontos para o fechamento. Isto também acontece quando é preciso retirar as veias safenas pela técnica convencional. Quando usamos a técnica a Laser, dispensam-se os pontos.

Após a cirurgia você será encaminhado para a sala de recuperação anestésica, onde ficará por aproximadamente uma hora (o tempo de recuperação pode variar). Finalmente, após esse período, você irá para o quarto para comer alguma coisa e aguardar a recuperação completa da anestesia. Na maioria das vezes, a alta ocorre no mesmo dia do procedimento.

Depois da cirurgia, sua perna estará enfaixada para comprimir a área operada e diminuir o sangramento pós-operatório. A faixa deve ser retirada no dia seguinte da cirurgia e trocada pelas meias elásticas. Esse cuidado é fundamental para diminuir a dor, o inchaço e o desconforto, facilitando o retorno mais rápido às suas atividades cotidianas. Hoje em dia existem meias elásticas próprias para o pós-operatório de varizes que dispensam as faixas: são colocadas ao término do procedimento cirúrgico e devem ficar por pelo menos 48h, mantendo uma compressão contínua e mais eficaz, com a possibilidade tomar banho normalmente sem a necessidade de retirá-las.

O retorno ao consultório do médico ocorre em uma semana e aí são retirados os pontos (nos casos em que houve necessidade) e avaliado o processo da recuperação. O repouso pode variar de 1 a 15 dias dependendo do porte da cirurgia (quantidade e calibre de veias retiradas). Nesse período, não é necessário nem aconselhável ficar deitado todo o tempo. O ideal é caminhar durante períodos curtos, podendo ir ao banheiro, tomar banho e fazer as refeições normalmente, mas sem a realização de atividades que exijam esforço físico intenso. Relembraremos individualmente quais atividades já estão liberadas e quais ainda devem esperar um pouco para serem retomadas.

Após 30 dias, haverá a segunda avaliação pós-operatória. Nesse momento a grande maioria dos pacientes já não sente mais nada relacionado à cirurgia. Por fim, com 3 meses do procedimento, ocorre mais um retorno médico para avaliação do resultado final.

Importante lembrar que as pernas não devem ser expostas ao sol até a liberação médica: isso geralmente ocorre na terceira consulta, prazo que pode ser estendido, a depender do tipo pele.

Whatsapp