Na Cirurgia Vascular, o Laser tem sido empregado para tratar quase todos os vasos, desde os vasinhos, passando pelas microvarizes, chegando até no tratamento das veias varicosas calibrosas, como as safenas.

Existem dois tipos de tratamento com o laser: o laser transdérmico, para vasinhos e microvarizes e o laser endovenoso, para veias safenas e perfurantes. Para cada caso, temos diferentes técnicas e diferentes tipos de aparelhos de Laser que devem ser utilizados. Em ambos os tipos de tratamento, o objetivo é o mesmo: eliminar o vaso doente evitando cortes, cicatrizes e todos os inconvenientes de uma cirurgia tradicional.

Existem muitas dúvidas sobre a melhor época do ano para realizar o tratamento, quem pode utilizá-lo, se será realizado em hospital ou no consultório, portanto responderemos aqui as perguntas mais frequentes, mas estamos à disposição para esclarecer quaisquer outras que venham a aparecer, certo?

O que é o laser transdérmico para o tratamento de varizes?

Como o nome diz, é o laser usado através da pele. Ele é destinado aos vasos de pequeno calibre (vasinhos e microvarizes) situados em regiões superficiais da pele. O Laser transdérmico consiste em uma luz que, quando aplicada sobre a pele, gera a contração da veia por meio do aquecimento do sangue em seu interior, causando a oclusão do vaso sem causar lesão na pele. É uma escleroterapia térmica. Esse tipo de tratamento é realizado no consultório, sem incisões, sem internação, e sem todos os riscos de um procedimento cirúrgico tradicional. Oferece um ótimo resultado na erradicação de vasinhos e microvarizes. Geralmente associamos a escleroterapia química (aplicação) para potencializar ainda mais o resultado.

O que é o laser endovenoso para o tratamento de varizes?

O Laser Endovenoso é um procedimento minimamente invasivo direcionado principalmente para o tratamento das veias safenas. Por intermédio de uma punção, é realizada a inserção de uma fibra de laser no interior da veia que, por meio do calor, ocasionará o seu colapso e fechamento. O laser endovenoso age dentro da veia provocando um aquecimento da sua parede com consequente retração e fibrose da luz. Esse tipo de procedimento é realizado preferencialmente no centro cirúrgico para uma maior segurança do paciente, já que um tipo de anestesia tem que ser usada (local ou regional). As vantagens do método são diversas, entre elas podemos citar a ausência de cortes grandes, menor quantidade de hematoma, menos dor no pós-operatório e, consequentemente, retorno mais precoce ao trabalho e à prática de atividade física.

O Laser pode ser realizado em conjunto com outro método de tratamento para varizes?

Sim. Na maioria dos casos, a escleroterapia química é utilizada na mesma sessão do Laser transdérmico, o que provoca uma potencialização do efeito dos dois procedimentos, com resultado final mais rápido e satisfatório para o tratamento dos vasinhos e microvarizes. Já com o Laser endovenoso, realizamos a flebectomia associada, ou seja, a remoção cirúrgica de varizes menores através de microincisões na pele, aproveitando o ato anestésico e a internação.

O tratamento com Laser dói ou queima?

Não. O tratamento com laser é muito tranquilo, justamente por ser menos invasivo. No caso do Laser transdérmico, além de podermos utilizar uma energia mais baixa devido à terapia combinada com a aplicação, utilizamos um resfriador de pele, um aparelho que funciona como uma anestesia local, trazendo mais conforto ao paciente. Quanto ao Laser endovenoso, como já foi citado, é um procedimento realizado sob anestesia, portanto, indolor.

Após o tratamento com o Laser não podemos tomar sol?

Não há nenhum estudo que avaliou o resultado da exposição da pele ao sol após o tratamento dos vasinhos comparando com a não exposição, entretanto, baseado nos estudos realizados para outros tipos de Laser, orientamos evitar a exposição nos primeiros dias após a sessão com o Laser transdérmico a fim de evitar maior pigmentação e tendência a manchas nos locais tratados. Falando agora do Laser endovenoso, essa intervenção geralmente está associada a remoção de outras veias menores, onde realizamos microincisões na pele. Embora as cicatrizes sejam bem pequenas, sem necessidade de pontos, elas podem sofrer uma hiperpigmentação e tornarem-se mais escuras e evidentes caso haja exposição aos raios ultravioletas.

Então quer dizer que o Inverno é a melhor época para realizar o Laser?

No outono e no inverno, as minissaias e os shorts dão lugar às calças, saias longas, meias calças, deixando as pernas mais escondidas, evitando naturalmente a exposição ao sol pós tratamento. Por outro lado, os vasinhos e varizes que tanto incomodam no verão são esquecidos temporariamente com o uso destas roupas mais pesadas e, quando a pessoa se dá conta, as pernas novamente não estão prontas para serem exibidas, gerando inibição em usar roupas mais condizentes com a estação, como bermudas, biquínis ou shorts mais curtos. O importante saber é que não há impedimento para realizar o tratamento de varizes a Laser em nenhuma estação do ano, somente será necessário a restrição de algumas coisas, como ir à praia por exemplo. A ideia de tratar no outono ou inverno é permitir que os pacientes tratem as varizes, sem ter que deixar de aproveitar o verão.

A recuperação do tratamento de varizes com Laser é demorada?

Não, pelo contrário, a recuperação deste tratamento é muito rápida. No caso do Laser transdérmico, não é necessário nenhum repouso e o paciente poderá retomar as suas atividades normais, inclusive exercícios físicos, logo após o procedimento. Para o Laser endovenoso, o período de recuperação é muito menor que o da cirurgia convencional; essa técnica permite que o paciente tenha alta no mesmo dia, retorne às atividades cotidianas dentro de 72 horas e pratique exercícios mais pesados depois de uma semana. O retorno às atividades na técnica tradicional dura em média 2 semanas. Claro que, devido a variações individuais e no grau de acometimento das varizes, o período de recuperação pode ser maior ou menor.

Por que é importante que o laser para o tratamento das varizes seja realizado pelo médico angiologista ou cirurgião vascular?

“Vasinhos” e varizes em membros inferiores podem ser alimentados por veias nutrícias, fístulas arteriovenosas, ter origem pélvica/abdominal ou vir de um episódio pós-trombose. Além do entendimento sobre o Laser e as reações biológicas causadas, somente o especialista conhece a fundo a fisiopatologia da doença venosa, sendo o mais indicado para diagnosticar e realizar o tratamento adequado.

Whatsapp