Aneurisma - Sintomas, Causas e Tratamentos

Tratamento artéria poplítea

Aneurisma 

O Aneurisma é uma doença que consiste na dilatação anormal de um vaso sanguíneo causada pelo enfraquecimento da sua parede. Sua frequência aumenta com a idade e é mais comum no sexo masculino e em tabagistas.

É uma doença silenciosa, ou seja, a maioria dos pacientes não apresenta nenhuma manifestação da doença. Seu maior perigo está no fato de poder romper-se, resultando em hemorragia muitas vezes fatal.

Aneurisma da aorta

A aorta é um vaso sanguíneo que nasce no coração, atravessa o tórax e termina no abdômen na altura do umbigo, é considerado nosso principal vaso por dar origem às artérias que levam o sangue a todas as partes do corpo.

O aneurisma da aorta pode ocorrer no tórax (aneurisma da aorta torácica), abdominal (aneurisma da aorta abdominal) ou acometer as duas regiões (aneurisma toracoabdominal). É mais frequente em homens acima de 60 anos, mas pode também acometer as mulheres e jovens.

Aneurisma da Aorta

A cirurgia de aneurisma da aorta eletiva visa, principalmente, evitar a rotura, que causa um extravasamento maciço de sangue. A chance de sobreviver a um aneurisma roto é muito baixa. Por isso é muito importante diagnosticar e corrigir um aneurisma quando ele ainda está intacto.

Aneurisma da aorta abdominal (AAA)

O aneurisma da aorta abdominal corresponde à dilatação da porção da aorta localizada na cavidade abdominal. O segmento abdominal da aorta é responsável por enviar sangue para as pernas, trato gastrointestinal e rins.

Ilustração de uma Aorta Normal e de um Aneurisma de Aorta Abdominal

Um aneurisma da aorta abdominal ocorre quando a parede da aorta enfraquece e começa a dilatar. O AAA pode aumentar e eventualmente romper se não for tratado, causando hemorragia interna grave e possivelmente morte. Quase 200.000 pessoas nos Estados Unidos são diagnosticadas com AAA anualmente; aproximadamente 15.000 morrem a cada ano de um AAA roto.

No Brasil, não temos estudos sobre esses números, porém acredita-se que a quantidade de mortes seja ainda maior que nos EUA devido a falta de diagnóstico precoce. Além de preocupações com a ruptura, trombos também podem se desenvolver dentro de um aneurisma. Eles podem se fragmentar e migrar para outras áreas do corpo e bloquear a circulação, causando dor severa ou até perda do membro se o fluxo sanguíneo for interrompido por muito tempo.

O AAA pode ser tratado com segurança quando descoberto precocemente; no entanto, a maioria dos pacientes não apresenta sintomas, dificultando o diagnóstico.

Causas e fatores de risco

A maioria dos aneurismas aórticos é causada por uma quebra nas proteínas que fornecem força estrutural à parede da aorta. Alguns fatores de risco que contribuem para essa quebra estrutural incluem:

• Idade – indivíduos com mais de 60 anos têm maior probabilidade de desenvolver a doença
• Gênero – homens são mais propensos à condição do que as mulheres
• História familiar de AAA
• Tabagismo

Causas e Fatores de Risco
• Pressão alta

Sintomas

A maioria das pessoas não apresenta sintomas, sendo o aneurisma frequentemente detectado quando exames são realizados por outros motivos. Aqueles que têm sintomas comumente relatam dor na barriga ou nas costas ou sensação de pulsações no abdômen.

Diagnóstico do Aneurisma

Se houver suspeita de AAA, você deverá fazer um ultrassom Doppler da aorta, um exame indolor e seguro que pode rastrear e medir o tamanho de um aneurisma.

Ultrassom Doppler Importante Exame para o Diagnostico do Aneurisma da Aorta

Um estudo randomizado controlado mostrou que ao longo de 10 anos, o rastreamento com ultrassom em homens com idade entre 64 e 75 anos leva à redução da mortalidade devido ao AAA em 73%.
Quando indicada, a angiotomografia computadorizada pode avaliar o tamanho, a localização e a extensão do aneurisma. Este estudo fornece informações anatômicas valiosas e pode ajudar seu cirurgião vascular a definir o melhor tipo de tratamento. No entanto, requer exposição à radiação e injeção de contraste intravenoso.

Tomografia de uma Aorta Normal e de um Aneurisma da Aorta Abdominal

Associado ao aneurisma da aorta abdominal, podemos identificar um aneurisma de artéria ilíaca: são as artérias que nascem da divisão da aorta abdominal para fornecer sangue para as pernas e estão situados em uma região profunda, difícil de ser palpada durante o exame médico.

Tomografia de um Aneurisma da Artéria Ilíaca Esquerda

Tratamento dos Aneurismas

Os aneurismas que são considerados grandes necessitam de tratamento cirúrgico na maior parte das vezes. Outras indicações para a cirurgia de aneurisma são a dor, que é considerada um sinal de iminência de rotura, e a velocidade de crescimento acima dos níveis esperados.
Por outro lado, os aneurismas pequenos e assintomáticos podem ser acompanhados periodicamente por meio de exames de imagem, como a ultrassonografia com Doppler

O médico especialista capacitado para fazer cirurgia de aneurisma e acompanhar os casos que ainda não têm indicação cirúrgica é o cirurgião vascular.

Quando é necessário operar, a depender das características do paciente (como idade e outros problemas de saúde associados, que influenciam no risco operatório) e da anatomia do aneurisma, o cirurgião vascular define qual a melhor técnica cirúrgica para o tratamento:

– Reparo clássico: é a cirurgia de aneurisma aberta, realizada através de uma incisão no abdome, abertura do aneurisma e costura de uma prótese (tubo de material sintético) no interior do vaso, substituindo a parede enfraquecida.

– Reparo endovascular do aneurisma da aorta (ou EVAR, a sigla em inglês para esta técnica): de desenvolvimento mais recente, consiste na introdução de uma prótese intravascular através de fios guias e cateteres pela virilha, sem a necessidade de abrir o abdome.

Cirurgia Aberta e Cirurgia Endovascular do Aneurisma

A cirurgia de aneurisma endovascular é menos invasiva do que a técnica convencional aberta, apresentando um risco menor de complicações imediatas e precoces. Estes fatores permitem um tempo de internação mais curto, uma recuperação mais fácil e retorno às atividades habituais mais rápido. Porém, mesmo com um tratamento imediato satisfatório, em médio a longo prazo podem aparecer vazamentos (chamados de endoleaks). Por este motivo, há a necessidade de seguimento com o cirurgião vascular e realização de exames de imagens periodicamente.
Apesar das vantagens da técnica endovascular, a cirurgia de aneurisma convencional ainda é bastante utilizada, principalmente em pacientes jovens e em casos em que a anatomia do aneurisma não é favorável para a correção endovascular.

Aneurisma da artéria poplítea

A artéria poplítea é uma artéria localizada atrás do joelho e é responsável pela circulação das pernas.

Aneurisma da Artéria Poplítea

Assim como nos aneurismas de aorta, os fatores de risco para o seu aparecimento são o tabagismo, sexo masculino e a idade.
Diferente do aneurisma da aorta, este raramente apresenta ruptura. O maior risco consiste no entupimento da circulação da perna, causada por sua trombose ou pelo desprendimento de coágulos do seu interior para os ramos dos vasos sanguíneos originados da artéria poplítea. Quando isso ocorre, há um risco muito elevado de perda do membro afetado (amputação).

Para o diagnóstico do aneurisma de poplítea, os exames mais utilizados são o ultrassom com Doppler, angiotomografia computadorizada e a ressonância magnética.

O tratamento depende, principalmente, do tamanho e dos sintomas causados pelo aneurisma. Se for indicada a cirurgia de aneurisma da artéria poplítea, assim como no aneurisma da aorta, existem duas técnicas para a correção:

– Cirurgia convencional aberta, em que é realizada uma “ponte”, normalmente de veia safena, para substituir a artéria doente.

– Cirurgia endovascular, na qual realiza-se uma punção arterial na virilha e com o auxílio de fios guias e cateteres, coloca-se uma prótese para cobrir o segmento aneurismático, sem a necessidade de cortes ou da retirada da veia safena.

A cirurgia convencional tem uma recuperação imediata um pouco mais difícil, uma vez que são feitos cortes e a manipulação da região afetada é maior. Sua vantagem é a maior durabilidade em relação à técnica endovascular.

Já o pós-operatório precoce do tratamento endovascular, por ser uma técnica minimamente invasiva, é muito mais tranquilo, praticamente sem dor, com retorno mais rápido às atividades habituais.

Aneurisma da artéria visceral

Quando a dilatação ocorre nas artérias que irrigam os órgãos abdominais (fígado, baço, intestino, rim, entre outros) os aneurismas são chamados de aneurismas viscerais.

Aneurisma da Artéria Visceral

Ao contrário do aneurisma da aorta, o risco de desenvolver um aneurisma visceral está mais relacionado a doenças genéticas, inflamatórias, infecciosas e a traumas.

A grande maioria dos pacientes não apresenta sintomas, entretanto, pode ocorrer um desconforto abdominal no território irrigado pela artéria acometida.

O principal problema causado por esses aneurismas é sua rotura, podendo o paciente apresentar dor abdominal intensa, queda da pressão e palidez pela hemorragia. Nesse caso a cirurgia deve ser realizada em caráter de emergência.
Uma atenção especial é dada para mulheres que possuem estes aneurismas e encontram-se na idade fértil, já que uma gravidez pode aumentar o risco de ruptura.

Em geral, o diagnóstico de um aneurisma de artéria visceral é realizado incidentalmente, ou seja, o paciente realiza um exame de imagem por outro motivo e o aneurisma é detectado.

A decisão pelo tratamento cirúrgico ou o acompanhamento médico com exames de imagem seriados dependerá do tamanho do aneurisma, sintomas e idade do paciente.

Quando há indicação de cirurgia de aneurisma visceral, a técnica a ser empregada pode também ser cirurgia convencional aberta ou tratamento endovascular.

Na cirurgia convencional aberta, é realizada uma incisão no abdome, ressecção do aneurisma e reconstrução do segmento arterial removido. Por ser uma cirurgia de porte maior, a recuperação é um pouco mais lenta.

No tratamento endovascular, é realizada uma punção na virilha e com auxílio de fios guias e cateteres, realiza-se a embolização do aneurisma e inserção de um stent na artéria acometida. Por esta técnica ser menos invasiva, sendo realizada apenas por uma punção na virilha, sem a necessidade de cortes ou abertura do abdome, a recuperação e retorno às atividades habituais são bem mais rápidos.

Entre em contato com o Instituto Barão e agende sua consulta.

Médico Vascular em São Paulo - Clinica Barão Vascular

Visite a Clínica

Nosso horário de atendimento é de segunda a sexta-feira das 7:30h às 20h. 

Você pode tirar suas dúvidas ou agendar uma consulta pelo  WhatsApp: (11) 95937-4639 ou pelos  telefones: (11) 4800-3030 | 4800-3031 | 3865-3049.

Se preferir também pode agendar sua consulta diretamente pelo site através do box abaixo. 

mapa
whatsapp