Varizes Pélvicas: O que são, Causas, Sintomas e Tratamentos

Médico de Veia

Telemedicina Barão Vascular

Consulta online via Telemedicina. Praticidade e comodidade para quem está fora da cidade de São Paulo.
Excelência no cuidado sem sair de casa.
Tranquilidade para você e sua família.

Varizes Pélvicas 

Varizes Pélvicas – Dor em peso em baixo ventre, dor nas relações sexuais, presença de varizes na vagina e no glúteo podem ser sinais de varizes pélvicas. Quando a presença desses vasos doentes causa sintomas, chamamos de Síndrome da Congestão Pélvica.

É uma doença de difícil diagnóstico, porém quando comprovada, o tratamento instituído possui uma alta taxa de sucesso. Hoje em dia, soluções minimamente invasivas tomaram o lugar das cirurgias convencionais, proporcionando abordagens menos agressivas, com menos complicações e uma recuperação muito mais rápida.

Tratamento de Varizes Pelvicas

O que são Varizes Pélvicas?

Varizes pélvicas é uma doença caracterizada por veias dilatadas e tortuosas próximas ao útero, ovários e trompas. Essa dilatação faz com que as válvulas na veia não funcionem adequadamente, permitindo que o sangue se acumule na região pélvica.

 

Nem todas as pessoas com varizes pélvicas apresentam sintomas; quando apresentam, damos o nome de síndrome da congestão pélvica. Quase 10% das mulheres sofrem de varizes pélvicas, porém apenas pouco mais da metade delas apresenta sintomas, ou seja, tem a síndrome da congestão pélvica.

Em homens, as varizes pélvicas manifestam-se com a dilatação das veias da bolsa escrotal, condição conhecida como varicocele, podendo causar dor e infertilidade.

Principais causas das Varizes Pélvicas

A etiologia exata das varizes pélvicas não é completamente esclarecida. É mais provável que dependa de vários fatores. A congestão das veias pélvicas é dividida de acordo com sua etiologia em:

Varizes pélvicas primárias – Deve-se à ausência das válvulas venosas ou à incompetência das mesmas por predisposição genética. Nesse caso a pessoa apresenta uma tendência hereditária para desenvolver a doença.

Alguns fatores, como gestação e alterações hormonais, podem acelerar ou desencadear o processo.

A tendência das mulheres que já tiveram duas ou mais gestações a desenvolver a doença pode ser decorrente ao aumento de 50% da capacidade das veias pélvicas devido às alterações fisiológicas durante a gravidez. Isso pode, por sua vez, levar a um fluxo sanguíneo retrógrado e incompetência das válvulas.

Por sua vez, a resolução completa dos sintomas após a menopausa indica a influência dos hormônios na síndrome da congestão pélvica. O estrogênio é um dilatador venoso e pode, portanto, produzir a dilatação venosa implicada na origem da doença.

Causas das Varizes Pélvicas

Varizes pélvicas secundárias – Deve-se à compressão externa de uma das veias de drenagem da região pélvica, causando obstrução do fluxo venoso, com consequente aumento da pressão e dilatação das veias. As causas de compressão incluem:

Síndrome de quebra-nozes (Nutcracker) – Esse fenômeno se deve à compressão da veia renal esquerda entre a artéria mesentérica superior e a aorta abdominal. A compressão da veia renal dificulta a drenagem da veia gonadal esquerda (veia importante na drenagem do sangue da região pélvica) com consequente aumento de pressão e surgimento das varizes pélvicas.

Sindrome de Nutcraker Importante Causa de Varizes Pélvicas Secundaria

Síndrome de Cockett ou Síndrome de May-Thurner – Condição em que há uma compressão da veia ilíaca comum esquerda pela artéria ilíaca comum direita. Essa síndrome também pode gerar uma dificuldade da drenagem venosa pélvica, cursando com varizes na região.

Causas das Varizes Pélvicas

Sintomas das Varizes Pélvicas

Na maioria das vezes, as pessoas que apresentam varizes pélvicas são completamente assintomáticas (não apresentam sintomas). Porém, algumas mulheres podem apresentar:

  • Dor, desconforto ou sensação de peso na região pélvica;
  • Sensação de Peso na Região Pélvica Alerta para Varizes Pélvicas
  • Dor durante ou após a relação sexual;
  • Aumento do fluxo menstrual;

Os sintomas podem ser piores depois de ficar em pé ou sentada por longos períodos, durante os períodos menstruais e durante e/ou logo após a gravidez.

Varizes Pélvicas: Diagnóstico

Geralmente o diagnóstico é feito pelo ginecologista após descartar outras doenças que podem afetar a região pélvica, como mioma, endometriose e doenças inflamatórias ou sexualmente transmissíveis. A presença de veias varicosas na pelve pode ser identificada com o ultrassom Doppler transvaginal.

Angiotomografia ou Angioressonância do abdômen e da pelve ajudam no diagnóstico e possibilita a elucidação da causa das varizes pélvicas (primária ou secundária à compressão da veia renal esquerda (síndrome de nutcracker) ou compressão da veia ilíaca comum esquerda (síndrome de Cockett). Após o diagnóstico, a paciente é encaminhada ao cirurgião vascular.

Ressonância Magnética Mostrando Varizes Pélvicas

Como tratar Varizes Pélvicas

Inicialmente, o tratamento das Varizes pélvicas pode ser realizado com medicamentos para aliviar os sintomas. Os medicamentos anti-inflamatórios costumam aliviar a dor. Existem também medicamentos flebotônicos que auxiliam na drenagem venosa. O Ginecologista pode também prescrever um tratamento hormonal para bloquear a ovulação na tentativa de diminuir a vascularização da região pélvica.

Quando os sintomas persistem e se faz necessário o tratamento cirúrgico, a paciente é encaminhada ao cirurgião vascular. Uma opção cirúrgica é a embolização por meio da cirurgia endovascular, que é minimamente invasiva e não demanda incisão.

Esse procedimento é realizado sob anestesia local com sedação para garantir o conforto do paciente. Consiste na punção de uma veia na região da virilha ou do braço, por meio da qual é colocado um cateter até chegar no local do problema. Um estudo das veias da região é realizado nesse momento por meio de uma flebografia. O bloqueio do suprimento sanguíneo para as varizes pélvicas é então realizado por meio de substâncias esclerosantes e/ou agentes embólicos (molas). O sangue é então redirecionado das veias doentes para as veias saudáveis. Após o procedimento, as pacientes podem voltar para casa ou para o trabalho imediatamente. A paciente pode sentir algum desconforto pélvico nas primeiras 72 horas, que será tratado com analgésicos simples.

Entre em contato com o Instituto Barão Vascular e agende sua consulta.

Convênios

Consulte aqui a lista dos planos de saúde atendidos no Instituto Barão. Em caso de dúvida sobre a cobertura do plano, informe-se no: 11 4800-3030 ou 11 95937-4639

Teste online

Dor, pernas pesadas ou cansadas são sintomas que podem significar o início da Doença Venosa. Preencha o “check-up venoso” e verifique se sofre dessa doença.

Agendamento
Doctoralia

Agende sua consulta online
Os convênios atendidos podem variar de acordo com cada profissional.

whatsapp
Unidade Pompéia
Unidade Paulista
Unidade Itaim Bibi
Unidade Tatuapé
Unidade Morumbi